É fogo

Vamos refletir um pouco sobre o consumo, né gente?? Eu estou tentando reduzir. E com certeza esse projeto aqui está me ajudando a ver tudo isso com outros olhos! Pra inspirar, tem musiquinha!!

É fogo

Lenine

Éramos uma pá de apocalípticos,
De meros hippies, com um falso alarme…
Economistas, médicos, políticos
Apenas nos tratavam com escárnio.

Nossas visões se revelaram válidas,
E eles se calaram mas é tarde.
As noites tão ficando meio cálidas…
E um mato grosso em chamas longe arde

O verde em cinzas se converte logo, logo…

É fogo! é fogo!

Éramos uns poetas loucos, místicos
Éramos tudo o que não era são;
Agora são com dados estatísticos
Os cientistas que nos dão razão.

De que valeu, em suma, a suma lógica
Do máximo consumo de hoje em dia,
Duma bárbara marcha tecnológica
E da fé cega na tecnologia?

Há só um sentimento que é de dó e de
Malogro…

É fogo… é fogo…

Doce morada bela, rica e única,
Dilapidada só como se fôsseis
A mina da fortuna econômica,
A fonte eterna de energias fósseis,

O que será, com mais alguns graus celsius,
De um rio, uma baía ou um recife,
Ou um ilhéu ao léu clamando aos céus, se os
Mares subirem muito, em tenerife?

E dos sem-água, o que será de cada súplica,
De cada rogo

É fogo… é fogo…

Em tanta parte, do ártico à antártida
Deixamos nossa marca no planeta:
Aliviemos já a pior parte da
Tragédia anunciada com trombeta.

O estrago vai ser pago pela gente toda;

É foda! é fogo!…
É a vida em jogo!

Advertisements

Um Vestido Florido e Vários Looks – Parte 2

Hoje é a minha vez de mostrar um vestido florido e vários looks; esse vestido foi feito sob encomenda pela querida Luci Marçal.

Quando temos uma peça que sabemos que ninguém mais tem, parece que nos dá mais vontade de usar, né!? Esse vestido é meu xodó e sempre que tenho a oportunidade o uso.

Uso-o muito no inverno também, com meia calça preta, bota preta e jaqueta; não podemos restringir vestidos e saias apenas para o verão.

E já usei o vestido como saia também, dobrando a parte de cima para dentro e usando um cinto na cintura para segurar.

A Lual já mostrou aqui como ela usou seu vestido em diferentes looks. Viram como dá para deixar a criatividade solta e ter várias “peças” em uma!? Vale lembrar que apostar nos acessórios é uma ótima pedida para dar um ar diferente à mesma peça.

Então bora botar isso em prática!! 😉

Uma saia pode render…

Um vestido pode render vários looks né?! A Lily e a Lual já mostraram isso pra gente aqui! E afinal todas nós iremos mostrar, pois o vestido azul vai passar na mão de 11 meninas e cada uma irá colocar a sua personalidade na hora de usá-lo!

Mas e uma saia azul? Ela pode render tantas combinações quanto um vestido?

Tenho essa saia azul que é meu xodó… comprei há uns 3 anos e nunca me canso de usar!

 

 

a primeira combinação foi feita com a blusinha branca e acessórios discretos … que não tem erro né gente!

Imagem

depois incrementar com acessórios com coloridos e pretos… adoro misturar essas cores, acho que se complementam!

Imagem

e por último meu jeito favorito de usar saia…. com camiseta!!!

e você, tem vários jeitos de usar alguma saia colorida?

Story of Stuff

6.436.738 BILHÕES. Esse é o número de peças de vestuário produzidas pela indústria no ano de 2010. Você consegue imaginar tanta blusa, meia, calça, saia, camisa, vestido? É um número tão grande que a gente demora para visualizar. E chega a dar aflição pensar onde tanta roupa foi parar – quanto foi desperdiçado, quanto está guardado, quanto já foi destruído ou virou lixo.

A gente vive em uma sociedade em que o consumo norteia a nossa vida. Parece que, para viver em sociedade, para ser feliz, a gente precisa consumir – e não estamos falando só de moda. O problema é que, para consumir, a gente precisa de recursos (madeira, petróleo, água), precisa de força de trabalho (na maioria das vezes mal paga) e, inevitavelmente, gera resíduos que vão lotar o planeta. Pensar no consumo como uma cadeia  ajuda a gente a enxergar o todo e notar como cada uma das nossas atitudes pode ter um efeito devastador (ou reparador) na vida de quem está em volta.

.
O vídeo Story of Stuff dá um susto na gente, mas nos ajuda a pensar, nem que por um minutinho a mais, antes de comprar (e de desperdiçar). Se você tiver 20 minutos, assista. Prometo que vai valer a pena 😉

3ª parada :: Lual

gente, estou adorando viajar por aí! agora eu vim parar no armário da Lual, essa moça aí das fotos. vocês não têm ideia dos amigos que fiz nesse lugar. conheci muita gente interessante, até um neto bastardo do meu bisavô, um vestido xadrez vermelhinho que vivia na China e muitas coisas trouxe de lá. me senti numa música da Legião Urbana, sabe?

bom, mas mudando de assunto, a Lual me contou que estava super apreensiva por achar que eu não caberia nos quadris gordinhos avantajados dela e, por isso, já tinha bolado o look todo faz teeeempo. olha só como eu fiquei super disfarçado por baixo dessa saia plissada bacana!  eu até achei que teria todo o destaque com minha estampa, mas não é que a danada resolveu me combinar com um sapato de bolinhas?

e aí? o que vocês acharam? acho que dá pra me usar de muitos jeitos diferentes, né? é só exercitar.  estou ansioso para continuar com a aventura e conhecer minhas novas amigas.

Brechós II – Ajustar é viver.

Acredito que a única desvantagem de comprar em brechó é a (in)disponibilidade de tamanhos. Às vezes, você pode se apaixonar por um lindo vestido – mas ele não passa nem pelos seus braços.  Ok, você não leva a peça. Mas e quando o tamanho é maior, ou muito maior? Aí é que eu acho mais divertido ainda, porque as possibilidades são infinitas ! Vocês já viram aqui no blog o projeto New Dress a Day, que fez maravilhas com roupas de brechó compradas por um mísero dolár. Quem fuçou no blog do projeto pôde ver que rolavam os bastidores das transformações, e às vezes nem é tão complicado assim.

Com alguma habilidade de costura (ou então – tia, vó, mãe, irmã com talentos) não é difícil transformar peças. E se você não possui tais habilidades cognitivas (como eu), muitas vezes vale a pena sondar a costureira do bairro para pequenos ajustes – como uma barra ou pence, ou mesmo grandes transformações, vale até usar uma camisa brega mas com estampa legal para transformar em bolsa ou algum outro acessório.  Bora se inspirar com outros exemplos?

Esses dois, o primeiro com Veronika e o segundo com a Keyko, fizeram parte do Project ReStyle, proposto pelo blog A Beautiful Mess.

Outra boa ideia que não sei como não tiveram antes é a da Capitu Vintage, um brechó virtual que também transforma e customiza peças antigas, uma ideia que nasceu como pesquisa de conclusão de curso de uma estudante de moda, Carla (leia mais aqui.)

E vocês, costumam customizar ajustar transformar peças antigas ou recentemente adquiridas me brechós?

Compartilhem com a gente!

Eu, Você e as Nossas Roupas

O “Eu, Você e as Nossas Roupas” será uma tag daqui do blog. A ideia surgiu a partir deste post do blog da Fernanda Defferrari (Fezinha). O objetivo foi mostrar a maneira que ela e a Ana (Hoje Vou Assim Off)  usaram os seus vestidos idênticos.

Então, existem essas coincidências e eu vou fazer essa pesquisa pelos blogs para postar aqui (se vocês quiserem sugerir alguns links…). Acho legal, pois, pode nos ajudar a ter outras inspirações na  hora de compor um look com a mesma peça.

Nesse primeiro post, eu vou mostrar para vocês um vestido em duas versões (com fundo preto e com fundo branco) usado por quatro meninas. Vamos lá?

Lily Zemuner

Mirian Soares

Fernanda Alves  e Dany B.

Foi muito legal ver e relembrar como cada uma das meninas imprimiram o seu estilo no vestido. Super inspirador, concordam?

Beijos e até a próxima!

Um Ano Sem Zara

Continuando com posts sobre outros projetos que incentivam o consumo inteligente, venho falar sobre o blog da Jojo – Um Ano Sem Zara.

A Jojo começou o blog porque estava, literalmente, afogada em dívidas. O blog leva o nome da marca Zara, mas a meta era ficar um ano sem comprar nada de roupas.

Durante esse período de abstinência, Jojo usou suas peças com muita criatividade, e com um look bem diferente do outro! Um ótimo exemplo de como usar e dar cara “nova” ao nosso armário.

Após esse ano sem comprar nada, Jojo continou com o blog e agora ele tem um subtítulo: Como Voltar as Compras Sem Entrar no Buraco.

Afinal, quem fica um ano inteiro sem comprar, aprende a ver o que realmente precisa; conhece seu guarda roupa e sabe que peça faria diferença, nada de consumo desenfreado.

Então entrem no blog e inspirem-se! Vamos trabalhar a criatividade e usar e abusar das peças que já temos no armário! 😉