Quando é que vale a pena comprar barato?

Quando surgiu a moda da jaqueta perfecto, láááá em 2009, eu lembro que fiquei louca para comprar uma. As de couro verdadeiro estavam fora de questão: mesmo trabalhando, eu não tinha 500 paus pra dar em uma. Acabei encontrando uma perfecto perfeita (oi!) em couro vegetal em uma loja feminina aqui do Rio, por menos de R$ 300. Era do jeito que eu queria, cheia de bolsos e zíperes e, pelo inverno inteiro, eu fui uma das poucas pessoas que teve uma jaqueta naquele modelo – o que rendeu de gente dizendo que eu estava vestida de motoqueira, iiih, vocês não imaginam!

Daí que o tempo passou, e eu continuei usando a jaqueta. Usei com vestido, com legging, com jeans, com saia. Usei no inverno, em brisas eventuais de outras estações do ano, usei, usei e usei. E quando chegou o momento de, mais uma vez, colocar minha coleção outono inverno pra jogo, eis que…

couro_vegetal

Minha jaqueta do amor está destruída, e não de um jeito bonito: descascada, com o forro pintado todo exposto, tudo de fora. Achou ruim? Pois veja bem, descobri no meio da night, no aniversário de uma amiga, quando percebi os pedacinhos pretos em cima de mim, da mesa, da cadeira, eu estava me desfazendo! Socorro!

Não consigo mais usar minha perfecto, mas também não joguei fora. Nessa hora me pergunto: será que eu deveria ter esperado mais um pouco e comprado uma jaqueta de couro verdadeiro por R$ 500 (preço da época)? Desconsiderando a questão ambiental à respeito de couro animal e couro vegetal, e pensando apenas no lado econômico da compra, o que vocês consideram? E indo além: em que peças vocês preferem investir mais ($$), e quais vale a pena gastar menos – e ter um material mais descartável?

O fato é que agora eu quero porque quero uma jaqueta de couro animal, que dure 20 anos, que se desgaste e fique bonita, mas adivinha… agora elas custam mil reais.